quinta-feira, 30 de junho de 2011

POÇO VERDE E A VIOLÊNCIA

A violência é um problema
Que atinge a todos nós
Homem, mulher e menino
O cidadão está sem voz
Quem poderá nos salvar
Onde está o nosso herói.

Falo assim com uma tristeza
De cortar o coração
Pois sofremos sem guarida
Vou dizer com emoção
Que a esperança tá morrendo
Só Deus é a solução.

Ações não existem
Pra mudar a situação
E a polícia desarmada
Só arma confusão
A Justiça? Que Justiça?
- “Valei-me meu Santo Antão”

A situação é dramática
E merece reflexão
É crime de todo tipo
Quem sofre é o povão
Com roubos e assassinatos
É a maior confusão!

Até na minha cidade
No interior sergipano
Sofremos com a violência
É um total desengano
E ladrão? Temos “as tuia”!
Segurança? É um engano!

A cada dia que passa
Os delitos se sucedem
E o clima de impunidade
É o que os bandidos pedem
E se a população reclamar
Eles dizem que nada devem.

As causas da violência
É assunto perigoso
Pois ninguém é culpado
Todo mundo é mentiroso
“Mentira tem perna curta”
É um ditado precioso.

A violência se abastece
Da falta de visão
Do rancor e egoísmo
Desse modelo de nação
Pois, quem rouba está solto
Fazendo corrupção.

Quem rouba galinha
Está dentro da prisão
E aquela tal “autoridade”
Tranqüila na mansão
Usando colarinho branco
É a lei da corrupção.

O problema da justiça:
“Ela tarda mais não falha”
É transformar o trabalhador
Em escudo de batalha
Tirando todo seu dinheiro
Lhe chamando de “gentalha”.

Até onde chegaremos
Com tanta “consumição”
Com tanta reviravolta
Na vida do cidadão
O bandido tem prestigio
E o povo sem condição

Quero mais é ser feliz
Sem ter medo do ladrão
Trabalhar, me divertir
Livre de preocupação
Infelizmente, minha gente
Isto é uma ilusão.

Precisamos dá um basta
Não podemos recuar
Exigir das autoridades
Proteção para o nosso lar
Educação de qualidade
Pra situação melhorar.

Cultura, Esporte e Lazer
Não deveriam faltar
Pois afasta o adolescente
Daquele péssimo lugar
Drogas, álcool, prostituição
Juventude a se acabar.

Vamos nos mobilizar
Pedindo ajuda ao Rei
Aquele que é maior
Criador de uma Lei:
“Amai sempre o próximo,
Como assim, eu vos amei!”

Não esqueçam do recado
Que agora lhes darei:
“A paz começa em você”
Foi isso que eu imaginei
E lutando com palavras
Este cordel eu inventei.

Zé Araújo 21.07.2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário