sábado, 10 de agosto de 2013

1ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

Foi realizada no dia 09 de agosto, a "1ª Conferência Municipal de Cultura". O evento foi realizado no Polo da UAB - Universidade Aberta do Brasil e contou com a presença de vários artistas e grupos culturais, além do Secretário de Cultura da cidade de Tobias Barreto. Na abertura da Conferência o poeta popular e cordelista Zé Araújo declamou um "causo" do poeta Zé Laurentino da Paraíba - Conversa de Passageiro.
Zé Araújo declamando um "causo"

Grupo de Reisado de D. Raimunda


Ivan Poeta declamando uma poesia

Adicionar legenda

terça-feira, 30 de julho de 2013

VINICIUS DE MORAES - Vida e Obra



No ano de 1913
Zé Araújo apresentando o Cordel: "Vinicius de Moraes - Vida  e obra" no evento "Sensibilização do Projeto de Soletração Municipal/2013

Nascia no Rio de Janeiro
Vinicius de Moraes
Um poeta verdadeiro
Romântico e apaixonado
Sempre foi casamenteiro

Sua mãe Lydia Cruz
Também tinha talento
Uma exímia pianista
E vou dizer a contento
O Pai Clodoaldo Pereira
Poeta em algum momento

Vai morar com os avôs
Aos três anos de idade
No bairro de Botafogo
Esta é a pura verdade
E no ano seguinte
Muda-se por necessidade

Na Escola Afrânio Peixoto
Começa a estudar
Com sua irmã Lygia
E outra vez vai se mudar
Vai para Ilha do Governador
Na praia do Cocotá

No ano de 1924
Inicia o curso secundário
No Colégio Santo Inácio
Já era um visionário
Cria várias amizades
Era um rapaz solidário

Em 1929 precisamente
No Colégio onde estudava
Bacharela-se em Letras
Todo mundo esperava
E no ano seguinte
No Direito começava

Em 1933, forma-se
E começa a escrever
Publica seu primeiro livro
E todos querem ver:
“O caminho para a distância”
O sucesso a aparecer

Trabalha para o governo
No Ministério da Educação
Publica outro livro
E é pura emoção
“Forma e exegese”
Ganha prêmios de montão

“Ariana, a mulher”
Outro poema inspirado
Conhece Manuel Bandeira,
Drummond, os iluminados
E deles torna-se amigo
Oh! Poeta dedicado.

Vai estudar na Inglaterra
Aos 25 anos de idade
Língua e literatura inglesa
Tornam-se realidade
Aumenta sua competência
E sua versatilidade

Lança: “Cinco elegias”
E tem grande resultado
Depois: “Poemas, sonetos e baladas”
Começa a ser elogiado
É o “poeta do cotidiano”
Como gosta de ser lembrado

Casa-se com Beatriz Azevedo
Por meio de uma procuração
Volta então para o Brasil
E “dá corda” à inspiração
Nasce sua primeira filha
O poeta é só emoção

Torna-se crítico de cinema
E conhece outros autores
Cecília Meireles, Afonso Arinos
Além de vários escritores
É um homem influente
Sem falar nos seus amores

Em 1946 nos Estados Unidos
Começa seu trabalho diplomado
Torna-se vice-cônsul do Brasil
Pense num homem estudado
Mora cinco anos na Califórnia
E a saudade dói um bocado

Em 1950 volta ao Brasil
Casa-se pela segunda vez
A esposa é Lia Maria
É um homem de muita altivez
Em 1953 nasce a segunda filha
A alegria se refez

Nasce sua filha Luciana
No ano de 1956
Faz peça de teatro
Traduz poemas para o inglês
É um homem talentoso
Digo isso a todos vocês

Nesse ano, minha gente
Começa uma grande parceria
Conhece o grande Tom Jobim
De quem nunca mais separaria
E junto com João Gilberto
A Bossa Nova criaria

Em 1958 casa-se novamente
Homem inquieto e ativo
A da vez é Maria Lúcia
Dos vários amores ele é cativo
Em 1963, com Nelita Abreu
É um “cabra” impulsivo

Trabalha com vários músicos
Em composições magistrais
Edu Lobo, Carlos Lyra,
Nara Leão e muito mais
Sem falar em Ary Barroso
Canções sensacionais

Falar desse grande mestre
É reviver o romantismo
Seus sonetos impecáveis
É o ápice do lirismo
O Brasil é a pátria mãe
Falo assim com saudosismo

Quem não conhece o poema
“Soneto da Fidelidade”
Ou o “Soneto da Separação”
Não imagina a felicidade
De escrever este cordel
E apresentar na minha cidade

De Vinicius de Moraes
Tenho muito pra falar
Mas o tempo é curto
Então eu vou despistar
Na outra oportunidade
Iremos nos pronunciar

Zé Araújo
17.07.2013

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

IRMÃS DE SANTA MARIA - Exemplo de Amor ao Próximo



      Vou contar uma verdade
que há muito precisava
o valor não se discute
eu apenas não falava
mas agora eu apresento
o que pensamento pensava

1976 em Poço Verde
um grande fato aconteceu
recebemos uma visita
o povo nunca esqueceu
As Irmãs de Santa Maria
A cidade recebeu

Recebeu um presente
Enviado pelo bom Deus
Dedicadas e amorosas
O Espírito Santo floresceu
E nesse sertão esquecido
O milagre aconteceu

Dom Coutinho era o Bispo
E convidou de antemão
Pois sabia a necessidade
De uma nova evangelização
E as Irmãs de Santa Maria
Vieram de bom coração

Gabriela, Antonia Elisabeth e Geralda
As primeiras que chegaram
Mas a missão era grande
Vieram outras e completaram
E o trabalho começou
É assim que todos falam

Começaram ajudando
Nos trabalhos pastorais
Batizando e celebrando
E fazendo sempre mais
Auxiliaram Padre Souza
Com um espírito vivaz

Quantos poçoverdenses
Vivenciaram a experiência
De aprender alguma disciplina
E abrir a sua consciência
Inglês, francês, biologia...
Matérias em sua essência

A área educacional
Tem muito a agradecer
Foram tempos especiais
E por isso eu vou dizer
Que as Irmãs são legais
Ensinou-nos a crescer

Além da educação
As Irmãs trabalharam
Na formação dos jovens
E um grupo então formaram
O importante “Água Viva”
E eles se conscientizaram

As famosas caminhadas
Momentos de reflexão
Respeitávamos a natureza
Sempre atentos à devoção
E na catequese juvenil
Tínhamos ação e oração

As irmãs de Santa Maria
Na saúde também trabalhou
Poço Verde naquela época
Vivia um grande horror
A desnutrição infantil
Mas elas tinham fervor

Orientavam as mães
No planejamento familiar
Ajudavam de toda a forma
Incansáveis a lutar
Pra melhorar a vida de todos
Numa simplicidade singular

Outro ponto importante
Foi a catequese infantil
Dedicaram-se por inteiro
Isso todo mundo viu
E as famílias poçoverdenses
Agradecem com muito brio

E a “Escolinha das Irmãs”
Quem nunca ouviu falar
No Bairro da Vaquejada
Naquele simples lugar
Ensinando a tantas crianças
A singeleza do amar

Foram tantas religiosas
Que passaram por aqui
Irmã Alice, Rosimeire
E se algumas eu esqueci
Desculpe a minha falha
Não foi porque eu quis

Vou agora homenagear
Uma Santa de primeira
Que aqui em Poço Verde
Mostrou o que é ser Freira
Amou indistintamente todos
De uma forma verdadeira

O nome dela é Marielle
Do sorriso e da alegria
Mesmo nos momentos difíceis
Um conforto ela trazia
Não importava o problema
Palavras sábias ela dizia

Agora ela está no Céu
Orando por todos nós
E ficou uma lição
Que só o amor constrói
Além de outros ensinamentos
Só assim a saudade não dói

Atualmente em Poço Verde
Trabalhando sem cessar
 Temos as Irmãs Gabriela e Valmira
No exemplo de doar
Arlete, Sílvia, Elisângela, Kátia
Com elas vocês podem contar

Parabéns Irmãs de Santa Maria
Pelos 35 anos de doação
Poço Verde agradece
Do fundo do coração
Obrigado, obrigado, obrigado
Que Deus lhes cumule de bênçãos



Zé Araújo
07.09.2011